A Igreja

Um pouco da história da IGREJA DE NOSSA SENHORA DAS DORES

Construída no ano de 1761 para as celebrações da Semana Santa, a graciosa Igreja de N. Sra. das Dores torna-se bela em toda sua singeleza. O que chama logo a atenção de quem entra é o seu forro todo ornamentado com painéis artisticamente pintados. Figurando o centro do teto da capela-mor está N. Sra. das Dores em meio a alguns anjos.

Igreja das Dores
Interessante notar nesta composição que N. Sra. das Dores parece ferir, com uma de suas espadas, o homem que está ajoelhado a seus pés. Deduz-se disto que esta cena deva representar um ex-voto, isto é, alguém que alcançando uma graça a mandou representar em sua lembrança. Os 15 painéis da nave, todos de inspiração medieval, representam a paixão de Cristo, desde o horto das oliveiras até a ressurreição. Deve-se notar ainda a balaustrada original que divide a nave e o curioso piso de lajotas de barro cozido, que cobre todo o corpo da igreja, com suas marcas de patinhas de cachorro e dedos de crianças peraltas.
A expressiva imagem de N. Sra. das Dores possui a curiosidade de ser uma imagem de roca. Chegou em Cachoeira nos meados do século XVIII e possuía várias jóias, que desapareceram. Conta a lenda que sob os auspícios de certa senhora chamada Maria Dolorosa, esta imagem percorria as casas de Cachoeira angariando fundos para se construir a igreja. Uma outra antiga lenda afirma que os inconfidentes reuniam-se em seu interior para, do alto de sua torre esquerda, espionar o Visconde de Barbacena em seu Palácio. Ainda hoje é possível avistar as ruínas do Palácio de Campo do alto desta mesma torre.

Recentemente a igreja sofreu uma grande restauração, porém algumas de suas pinturas já se acham deterioradas.