Festa & A Lenda

A FESTA DE NOSSA SENHORA DE NAZARÉ

A padroeira de Cachoeira do Campo, Nossa Senhora de Nazaré, é celebrada no dia 08 de Setembro, sendo este dia feriado local e dia dos cachoeirenses festejarem. Começando com a novena, os festejos terminam com uma grande procissão, onde a imponente imagem de Nossa Senhora de Nazaré, percorre as principais ruas de Cachoeira, geralmente acompanhada dos padroeiros, das capelas filiadas à  paróquia, e com a participação das centenárias corporações musicais cachoeirenses. É a mais antiga festividade de Cachoeira, sendo já celebrada no início de século XVIII.

A LENDA SOBRE A CHEGADA DA IMAGEM DE NOSSA SENHORA DE NAZARÉ

Outro vasto patrimônio cultural pertencente a Cachoeira do Campo, são as muitas lendas que ainda persistem em sobreviver na tradição oral. A mais conhecida e difundida e que merece atenção especial é a chamada “Lenda da Imagem de Nossa Senhora de Nazaré”. Conta-se que, há muitos anos atrás, quando então se construía a Matriz, uma comitiva vinda do litoral, trazendo uma imagem de Nossa Senhora de Nazaré, fez parada para descanso na atual Praça Filipe dos Santos em Cachoeira, pois ainda teriam que percorrer um longo caminho até Morro Vermelho, um distrito de Caeté, para onde se destinava a imagem (outra variante da lenda conta que a imagem seguia para Casa Branca). Quando chegou a hora de partir, porém, a junta de bois que a conduzia se recusou de toda forma a seguir em frente. Não havendo explicação natural para o acontecimento atribuiu-se o fenômeno a um milagre, pois a junta parara bem em frente a uma igreja com a mesma invocação da imagem que transportava. Assim, a grande imagem de Nossa Senhora de Nazaré ficou no lugar da menor e mais antiga, tornando-se tradição afirmar que não foi Cachoeira quem a escolheu como padroeira e sim, ela própria. O curioso é que há realmente duas imagens desta invocação pertencentes à  paróquia; uma é a que está no trono do altar-mor, a outra é a pequena e muito antiga, veio acompanhado os primeiros bandeirantes fundadores de Cachoeira, hoje é raramente é usada em cultos.

FONTES PESQUISADAS:

# LEMOS, Pe. Affonso Henriques de Figueiredo. Monografia Histórica da Freguesia de Cachoeira do Campo, escrita em 1907.
# RAMOS, Lúcio Fernandes. Cachoeira do Campo – A Filha Pobre do Ouro Preto.
# BOHRER, Alex Fernandes e GOMES, Rodrigo da Conceição. Apostila: Cachoeira do Campo “ Pequeno Subsidio para sua História. Escrita em 2000.

Pesquisa Histórica: Rodrigo da Conceição Gomes
Presidente da AMIC
Associação Cultural Amigos de Cachoeira do Campo